sábado, 29 de março de 2014

Super Reflexões e... uma Excelente Interpretação da FÉ

Realmente é surpreendente o que estamos a viver nesse momento.
Um momento tão louco, de mudanças tão profundas em todos os sentidos, direções e vibrações.

É um momento de intensa e necessária reorganização energética.
Acompanho as pessoas que possuem seus canais de percepção apurados e abertos para receberem e decodificarem o que os Seres Superiores enviam.
Admiro-os profundamente pela oportunidade dessa sintonia.
E por nos compartilhar essa chamada, tão necessária para prosseguirmos.

Ainda sou um aprendiz dessas poderosas vibrações.
É um processo que, para mim, está a começar.
Já sei que possuo um "sexto" sentido.
Descobri que a conexão mental_espiritual é a jornada.
E que ela está diretamente associada ao coração_sentir.
E assim caminho pelos três mundos:

Físico X Espiritual X Virtual.

E nessa jornada, fui presenteado com um texto muito forte.
Que descreve, para mim, como é vivenciada a FÉ.
Veio do Facebook, de um grupo que lá acompanho, entre tantos outros.
Fiz contato com o autor e solicitei que compartilhasse aqui, dada a importância desse tema: a fé (os grifos no texto são meus).

Boa leitura!!

"Ao ligar conceito de fé somente a religião, o limitamos a uma margem de grandes equívocos e perdemos mais uma oportunidade de auto conhecimento
Sem poder desvincular a coisa da fé com a coisa da religião o transito sobre a riqueza desta competência humana fica limitada.

É interessante, fazer uma pesquisa por dicionários e constatar que os mais antigos como o Aurélio, tem uma definição de fé ultrapassada e bem comprometida com a coisa da religião e da crença em Deus ou do misticismo e adulação do fantástico. 
São definições cartesianas e equívocos montados nas bases da escolástica medieval. 
Já dicionários mais modernos, nos dão folga e espaço, para existir ante ao conceito e permitir que ele seja singular a nossa forma de pensar e ser.

Acredito ser impossível ao ser humano, uma existência desprovida de fé, ela é constitucional, serve como uma espécie de estrutura temporária para alguns movimentos e também para uma certa calmaria curativa. 
A fé tem, para algumas pessoas o efeito de tamponar parcialmente algumas fendas e lacunas, para que a atenção possa ser redirecionada á eventos e situações de uma forma mais fluida, mais útil a existência.
Isso significa dizer que quando percebemos um defeito, ou uma falha em nossa face diante do espelho, temos a tendência a ficar só olhando pra ela, porque a mente parece nos direcionar sistematicamente para que providenciemos seu concerto, algo como colocar uma lona na casa destelhada em noites de temporal. 
A fé as vezes aparece como solução preventiva em um movimento interno pró vida.

Ficar atolado nas fenda das duvidas, pode ser muitas vezes fatal. 

Fazemos investimentos de toda natureza baseados em fé, são emocionais, afetivos, libidinais, financeiros e muito mais. As vezes você calcula e tenta medir os riscos, as probabilidades mas o movimento final continua sendo um ato de fé, daí fica fácil cair nas fórmulas prontas, nas receitas clericais, no misticismo. 

A fé conforme o dicionário moderno exemplifica, é a condição mínima para o movimento intelectivo e físico em direção a vida, as descobertas e as realizações.

Vivemos em um mundo dentro de nós mesmos, que é tão ou mais misterioso do que o mundo fora de nós e isto em muitos momentos provoca sensação de vazio e de falta de direção, a fé surge para nos dizer “cuide bem de seus filhos que nada de mal ira lhes acontecer; termine sua faculdade que seu futuro será promissor; invista emocionalmente nesta relação; pode sair de casa, com seu carro que você vai chegar e por ai vai”. 

Há algo dentro de nós que nos conduz, a Filosofia Clinica chama isso de Estrutura Do Pensamento, esta abarca competências humanas que fazem composições diversas e revelam-se na singularidade do sujeito.

Tem também a coisa da boa fé, de dar fé, de agir de má fé, esses termos usados comumente pelo judiciário, nos dão uma visão de que as relações de fé permeiam o mundo e acredito que ele seria impraticável sem ela. 
Como um diretor vai administrar sua empresa se não confiar nos seus funcionários?
Como um esposa vai ficar longe do seu marido se ambos não confiarem um no outro?

Nem mesmo as ciências atuariais conseguem construir certezas, 
tudo é probabilidade, amostra e aproximação
As vezes podemos direcionar a nossa vida baseados em experiências ruins, com resultados que acabam se definindo como a única possibilidade e nos equivocamos ao nos fechar para a revive-las e reinventa-las, por que nossos arquivos e amostragens existências, tem por base de aproximação, algum tipo de declínio.

A espécie humana é de fato tendenciosa e prolifera-se culturalmente na cegueira da massa, sobre o achismo, faz deste um recurso de auto conhecimento. 
Não coordenamos o pensamento em 3D, apesar de pensarmos em varias dimensões, como as do real, do bio-sensorial e do emocional
Na maioria das vezes somos comandados por um ou dois destes prismas, e por vários motivos acabamos por banalizar a competência dos demais, o que nos remete a bases de botes salva- vidas, no oceano das incertezas. 

Acredito que quanto mais formos capazes, de abarcar em nossos movimentos a conjunção de todas essas dimensões do existir e do pensar, mais chegamos ao que muitos chamam de transcendência, confesso que não gosto muito desta palavra prefiro dizer que ascendemos sobre nossa mais plena potência.

#ficadica: pare. releia. reflita. Avance, firme e forte, sempre, syn!

Fonte: Walter Fredericus Garz Filho _ email: irmaofred@outlook.com

PS: Se gostou, compartilhe com familiares, amigos e nas redes sociais. Se tiver dúvidas ou queira compartilhar suas sensações, deixe seu comentário e conversamos. Syn! Vibro que aprecie muito!

curta.contate.siga.vamos.juntos
     

Nenhum comentário:

Postar um comentário